domingo, 4 de outubro de 2009

Hasta siempre Mercedes Sosa!

3 comentários:

  1. FLORES COM MEMÓRIAS

    Mercedes transformou-se ao longo de todos estes anos, em uma das vozes mais importantes e escutadas da Argentina e da chamada World Music, conservando até ao fim da sua vida, a sua faceta interventiva.
    Em 1978, foi obrigada a exilar-se pelo regime opressivo militar argentino, depois de ter sido presa, juntamente com o público que participava no seu concerto.
    Durante o exílio, manteve uma constante actividade política, particularmente, contra a “guerra suja” do regime militar argentino e durante a guerra das Malvinas. Foi autorizada a regressar, em 1982, não se eximindo de acrescentar ao seu reportório, canções do rock argentino, salientando a relevância da sua poesia. Depois de enfrentar uma grave doença na década de 90, regressou aos palcos em 1998 para participar numa série de concertos no Luna Park, em Buenos Aires. O seu reportório era variado e, como ela afirmava, sempre destinado à “mi gente, mi pueblo”. Do seu reportório destaco “Las Manos de Mi Madre” de Perteco Carabajal, “Cuando Tengo La Tierra” de Petrocelli e “Solo Le Pido a Dios” do roqueiro Leon Gieco.
    Estes dados que foram extraídos do 2º Volume do livro World Music, completam, penso eu, a homenagem singela que a Né lhe qiz prestar.

    Jorge Brasil Mesquita

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Jorge pela informação adicional. É preciso não esquecer o percurso destas Almas que tudo deram. Para que haja memória histórica.
    Obrigada XII, pelo abraço sentido.

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day