sábado, 14 de julho de 2012

"Fossem ciganos a levantar poeira"...



Pronta para a viagem!

Nogueiró ⇐ ⇑ ⇒ Itália

Até breve

☮ Ƹ̴Ӂ̴Ʒ ✮ ❤ ♌ ☼ ☽♪ ♫ ♩ ♬

quinta-feira, 12 de julho de 2012



"Um sentimento de liberdade interior brotava naquele silêncio. Um sentimento místico, meio

 alvoraçado, de alguém que, de repente, descobrisse que sabe voar".


- Edla Van Steen ♥ (12 de Julho de 1936)

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Dia de Mercedes Sosa ♥♥♥



"Por eso muchacho no partas ahora soñando el regreso, Que el amor es simple, y a las cosas simples las devora el tiempo".

quinta-feira, 5 de julho de 2012

A Irmandade do Capote



Reacções à proposta do Bloco de Esquerda e Verdes para limitar a exibição de touradas na televisão:


"O espectáculo tauromáquico faz parte da cultura portuguesa e da história,sendo mesmo considerada uma arte. Existem 120 empresários ligados à tourada e as 110 ganadarias existentes empregam 350 pessoas... As corridas de touros são motor de muitas economias locais".
Odete Silva - PSD



"Inaceitável que os proponentes não tenham sequer referido de que se trata de um espectáculo milenar, fenómeno cultural e da identidade colectiva do País. Não deve o Estado arbitrar conflitos de valores e de preferências culturais, alterando o equilíbrio da legislação em vigor".
Sérgio Pinto- PS




“É uma tentativa gratuita e grotesca de educação do gosto e censura cultural.
60% da população segue as touradas na televisão. A última corrida emitida na RTP teve mais espectadores que os votantes do BE" 
Margarida Neto CDS-PP



“Entendemos não ser acertado limitar ou proibir por via legal as touradas no nosso país”
Paulo Sá- PCP

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Da voz e do voo






Este sonho de voo persiste ainda antes de ter nascido.

Desci à terra. Assim que pude escalei os céus rumo às estrelas.

E porque caía sempre que me lançava no firmamento um anjo deu-me metade das suas asas para acabar com os voos interrompidos.

Aprendi que as fragilidades terrenas me lançavam para lá das nuvens, um mundo raro, menina-borboleta, menina-pássaro, um castelo visto de cima, um príncipe errante à procura do Santo Graal.

Tudo me enchia a boca sedenta de asas.
O coração deixou de ser um poço fundo e escuro. Jorrou sons desenhados no ar.

Depois a descoberta das palavras, nas minhas mãos em concha, vindas de lugares onde nunca estive.

E o voo da voz surgiu do ai da terra.


terça-feira, 3 de julho de 2012

Quando tudo é



Cada textura e cor altera o timbre das cordas, escala o corpo e a voz como aquele amor

antigo.

 A transparência do mundo já não é fuga inútil.

Quando estou em movimento, asas sobre o telhado, escrevo o som que a natureza me

traz.

O amor é o mesmo.

A lua também.

E eu vou.

Astronomy Picture of the Day