sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Kerouac


Dobrava eu a esquina da Calçada António Nunes, a caminho de casa, de guarda chuva em riste, passadas largas e a atender uma chamada, quando se atravessou à minha frente.
Foi tão rápido e inesperado que precisei de parar, olhar, debruçar, para o ver melhor. Quando dei por mim já o tinha ao colo. Trepou pela gabardina, abriu caminho por entre os sacos que trazia na mão e muito amistoso ronronou felicíssimo protegido da chuva. Olhei para um lado e para o outro. Podia ser dali, ter saído por uma porta ou saltado duma janela. Aguardei que alguém o chamasse. Mas não. No maior dos seus inúmeros charmes esticou as patinhas, de garras retraídas e tocou-me na cara. "Vamos lá para NOSSA casa, não desistas de mim..."

Fui subindo a rua de Valverde, retomei a fala para explicar aquele encontro tão irreal e do lado de lá instigavam: "É claro que o vais levar contigo!" "É claro que vou... não sei bem o que me espera com a Tribo, mas vou!"


Durante a viagem pedestre, instalado como num trono, Kerouac olhava em todas as direcções para apreciar a paisagem cinzenta. Os ronrons subiam de intensidade.
Porta da rua. Subida de escadas. Chave na porta. A Tribo à espera. Sentados, olhos fixos. Ele nem se apercebeu. Não houve tempo para apresentações. "BANHO. Precisas de um banho".

Nunca na minha vida vi um gato cooperar tanto. Sem drama, sem um som agressivo, deixou-se ensaboar, apreciou a água do chuveiro morninha, ajeitou a cabeça de forma a poder limpar-lhe as orelhas, esperou pacientemente que lhe secasse o pêlo com o secador... sempre a conversar sobre o que tinha vivido.


Instalei-o no escritório para poder descansar sem se sujeitar às inspecções da Tribo. Fiz-lhe uma cama especial com almofadas e um edredon de penas. WC numa ponta, comida e água na outra. Comeu, comeu, comeu, comeu... bebeu, bebeu, bebeu. Arranjei umas bolinhas em papel de alumínio para brincarmos um pouco. Brincou, brincou.
Enquanto isso vim cá fora amiúde para explicar à Tribo que era o novo elemento e que, tal como eles, veio da rua. "Não se esqueçam que já passaram por isto. Com o tempo vão-se habituar à presença dele e dar-se bem".
Os 4 agachados, pescoços esticados, vigilantes junto à porta.

"Estou sim, Dr.ª Vera? Preciso que venha a minha casa. Não, não, a Tribo está muito bem de saúde. O Jembé está um bocadinho gordo e a Oriana parece querer seguir a mesma tendência... Ahhhhh a Sophia e o Gabriel uma maravilha. São óptimos caçadores de moscas! Quem os viu tão pequeninos, cabiam na palma da mão... pois... sabe... é que... (gargalhada)... encontrei outro, saltou para o meu colo como se me conhecesse há séculos. Que podia fazer? Chove tanto..."


Kerouac? Sim, faz hoje 40 anos que foi por uma estrada diferente...


*
Música: Hey Jack Kerouac - 10000 Maniacs

12 comentários:

  1. Estou sem palavras...
    Ai que estou encantada!!...

    ResponderEliminar
  2. Pelo vistos, o Kerouac teve muita sorte. :)
    É muito giro!

    (Neste momento estou precisamente a ler um livro com gatos, muitos gatos: "Gatos e mais gatos", da Doris Lessing.)

    ResponderEliminar
  3. Tão lindo!

    Já agora, visita animaisemportugal.blogspot.com

    Cumprimentos,

    ResponderEliminar
  4. Hey, Né.

    In (y)our tribe
    IN MY TRIBE:
    http://periodiccircumspection.blogspot.com/2009/10/hey-jack-kerouac-10000-maniacs.html

    TALLULAH too:
    http://periodiccircumspection.blogspot.com/2009/10/house-that-jack-kerouac-built-go.html

    Et, enfin, Jean-Louis:
    http://periodiccircumspection.blogspot.com/2009/10/jack-kerouac-morreu-ha-quarenta-anos.html

    Sweet dreams, KerouaCAT (purring in the pour).

    Noite feliz, Né.

    ResponderEliminar
  5. Alo Carlos :) esse livro é uma delícia, boa escolha! Tenho um para a troca: Gatos à Solta (Doreen Tovey). Porque é que estórias destas nunca são demais?
    Bj*

    ResponderEliminar
  6. Olá Teoria do Kaos, fui ao teu blog e já aderi ao grupo. Imagens fortes, alerta total para aquilo que nem sonhamos que existe, dedicação máxima à causa dos direitos dos animais.
    Abraço*

    ResponderEliminar
  7. Hey Helder :)
    Good Tribe! Good Vibe!
    Gostei sempre MUITO da Natalie Merchant e dos 10,000 Maniacs. Gostei de os ouvir no teu blog ;) com os "meus" Kerouacs! Depois vieram ainda mais surpresas... Go-Betweens, excelente! Eu tive esse álbum, ficou na rádio... a seguir a entrevista que colocaste, brilhante! Nunca tinha visto.
    Obrigada :)
    Bj*

    ResponderEliminar
  8. Boa noite, Né.
    Muito obrigado pelos comentários (aos quais respondi no meu blogue).
    Saudações a toda a Tribo.
    Bons sonhos.

    ResponderEliminar
  9. Também gosto muito dos 10.000 maniacs, mas prefiro a Natalie Merchant a solo. Destaco um disco gravado ao vivo no Neil Simon Theater, em Nova Iorque, que contém uma bela versão de 'Space Oddity', do David Bowie. Lindo! :)

    ResponderEliminar
  10. Space Oddity! Também na versão do sr. Eptesicus bottae ;))

    Bj*

    ResponderEliminar
  11. Obrigada eu, Hélder, por vires aqui :))
    Gosto do teu blog do conteúdo e da forma!

    "There's a place where we can meet"

    Bj*

    ResponderEliminar
  12. (Vou cantar para o Kerouac!! :)
    Don't sleep in the subway
    Don't sleep in the pouring rain....
    Aiiiii....
    :)

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day