sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Old Coimbra

Old Coimbra
Imagem pesquisada no Flickr, da Galeria de Gezlarge aka Gerry Naughton


Conheço a outra cidade.
Conheço-lhe as ruas antigas tão íngremes quanto as minhas insónias.
Sei de cor as quedas letais de tantas vidas.

Aguardei no cume do Monte Formoso por madrugadas azuis.
Construi uma jangada inerte para escutar o Mondego.
No Jardim Botânico vivi todas as eras geológicas da Terra.
Escalei a Torre descalça de onde lancei utopias arrítmicas.
Esperei no Penedo da Meditação por sóis desvanescentes.

 
Tento-me esquecer e lembrar.

*
Música: School of Seven Bells - My Cabal

4 comentários:

  1. A biblioteca Joanina esconde um livro
    ao alcance da memória...
    Bj*

    ResponderEliminar
  2. ...Corona Florida medicinae - António Gazio (1514)
    Obra acerca da higiene, longevidade e prevenção da saúde, baseada na medicina árabe medieval.
    Bj*

    ResponderEliminar
  3. Ó COIMBRA

    Ó Coimbra mestre de muitas Culturas
    Ensinas as águas do rio Mondego
    Que a Saudade é a voz do sossego
    Quando o Penedo te grava as ternuras

    Ouves no Jardim juras de amor
    Que o Botânico come como o Sol
    E saúda a Torre do seu escol
    Com trovas de Diniz o trovador

    Ouves nos Cafés os poetas cantores
    E as letras em que ardem escritores
    Plantando radiosos o cio do lume

    Que se acende Formoso no cume
    Onde o Vira que Coimbra conheceu
    É a voz da Brigada que o bebeu.

    Jorge Brasil Mesquita

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day