quarta-feira, 18 de novembro de 2009

As raparigas vão dançar

Ontem falei do deserto e de novo a minha alma berbere acordou. Por todas as mulheres que acreditam na sagração do cálice.


Djur Djura é o nome de uma montanha na Argélia. Também é o desta mulher berbere que sofreu duras represálias por não se encaixar na tradição familiar. A sua música e poesia são a forma de fazer chegar às mulheres do seu país e do mundo islâmico um poderoso manifesto de liberdade e emancipação. Como Kahina, a sacerdotisa berbere do séc. VII que resistiu à conquista árabe, Djura Abouda ergue um exército leal em defesa da riqueza cultural das suas origens e, ao mesmo tempo, contra a opressão de um sistema ultrapassado.


video

17 comentários:

  1. Magnífico tributo, Né, à coragem e ao inconformismo das mulheres (berberes, beduínas, árabes ou de quaisquer origens e culturas) que resistem à opressão sexista.
    As raparigas vão dançar e eu dançarei com elas, convosco.

    ResponderEliminar
  2. Olá Né.
    Eeis umas informaçõeszitas complementares ao sucinto e excelente comentário. Djura, além de compositora/cantora é, igualmente, escritora e realizadora cinematográfica e uma ferverosa apoiante dos direitas das mulheres, em geral. Em 1976, encorajada pela resposta que obteve à leitura de poemas seus sobre o seu passado, em kabylia, sua terra natal, formou o grupo por ti referenciado, Djurdjura, formado por duas das suas irmãs e por músicos do Norte de África, França e America. Como referência discográfica aconselho a colectânea "Voice of Silence" de 1993, compilada por David Byrne, com composições extraídas de 4 albuns do grupo, onde se misturam a música tradicional berbere feminina e composições orquestradas.

    Oeiras, 19/11/2009 - Jorge Brasil Mesquita
    www.comboiodotempo.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Já que o meu cerebro apenas funciona de forma conceptual,
    Aproveito e vou até à duna mais proxima tomar um chá de menta com a Isabelle Eberhardt.
    A convite.

    ResponderEliminar
  4. A propósito de Isabelle Eberhardt:

    http://periodiccircumspection.blogspot.com/2009/02/isabelle-eberhardt-nasceu-ha-cento-e.html

    ResponderEliminar
  5. Se me for permitido, digo à XII que gostaria de o ter por companheiro na duna e no chá com Si Mahmoud Essadi que, certamente, nos leria excertos do seu "Vagabond" e nos ajudaria a comparar memórias e tempos de épocas diferentes. Talvez, o Helder António mostrasse vontade de fazer o mesmo.
    Oeiras, 20/11/2009 - Jorge Brasil Mesquita
    www.comboiodotempo.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Irrecusável convite/sugestão, XII e Jorge: um chá no deserto chez Isabelle, em companhia de Paul & Jane Bowles (faríamos escala em Tânger a caminho da Argélia).
    E, para raiar a perfeição em pleno Magrebe, sob um céu protector, nessa imensidão, a Né não deixaria de (en)cantar-nos (com) as suas belas, quão belas canções!

    ResponderEliminar
  7. Iformo que o meu blogue foi suspenso por mim.

    Oeiras, 22/11/2009 - Jorge Brasil Mesquita

    ResponderEliminar
  8. Ouço, neste preciso momento, "Seya", de Oumou Sangaré, outra cantora (e que cantora!) que luta no seu país pelos direitos das mulheres.

    ResponderEliminar
  9. Oumou Sangaré :) já a coloquei em destaque. Obrigada Carlos Azevedo!
    Jorge, o que aconteceu com o seu blog???? Esse chá continua de pé? Si Mahmoud Essadi/Eberhardt aguarda-nos...
    XII, eu sei que foste indo para lá. Põe-me a abaia à entrada da tenda, sim? Devo chegar pela noite...
    Helder, podes levar a nagra para captar os sons do deserto? Tenho a mochila lotada...
    Beijo e até logo :) :) :)

    ResponderEliminar
  10. Carlos, apenas Carlos, por favor... Carlos Azevedo, assim por extenso, acrescenta-me mais 20 anos em cima! :-)

    (É uma cantora fabulosa. Aliás, o Mali, em particular, é pródigo em músicos de excelência.)

    ResponderEliminar
  11. De nagra aviada, Né...

    http://www.nagraaudio.com/pro/images/information/information_Nagra1.jpg

    ResponderEliminar
  12. Que bom saber que vêm todos a caminho!
    É para avisar que vim a Adrar N`Dern com os meus amigos Imashaghen.Fazem questão que veja daqui os corpos celestes.
    Presentearam-me com uma Takoba!!! :)
    Chego a tempo do chá,sim?

    (A abaia está na tenda sim,mas não à entrada!)

    ResponderEliminar
  13. Ok Carlos, apenas Carlos ;)) e é verdade, sim senhor: do Mali chega-nos grande música! Destaco Toumani Diabaté porque faz anos no mesmo dia que eu!!!! lolololol
    São precisos ossos de ferro para transportar a nagra,Herlder... mas que é o aparelho mais fidedigno que alguma vez houve, ai isso é!Vale a pena o esforço! :)
    Okidoki XII, fazemos um desvio e vamos na caravana dos amigos Tuareg até Adrar. Antes disso vou num pulo a Agadez regatear um colar de prata (coisas de mulheres...) :))

    ResponderEliminar
  14. Também preciso de dar um pulo a Agadez,Maria!
    Não te esqueças que ainda temos de ir dançar!...

    ResponderEliminar
  15. Já se ouve o tanger da N'djerbâ... também quero aprender a tocar! ;)

    ResponderEliminar
  16. É um motivo tão bom como outro qualquer para destacar alguém! :)

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day