sábado, 8 de maio de 2010

Om no bosque



A Gratidão ajuda-nos a lembrar e a sermos gratos por tudo o que acontece nas nossas vidas. É devolver a Deus o que foi recebido, concebido, transcendido, independência e mais amor incondicional.

Eu Sou a Gratidão fluindo na minha vida agora
Eu Sou a Gratidão pelo Ser de Luz que Eu Sou
Eu Agradeço pela vida maravilhosa que Eu Sou
Eu Agradeço pela Abundância na minha vida agora
Eu Agradeço pelo Amor na minha vida agora
Eu Agradeço pela Riqueza na minha vida agora
Eu Agradeço pela Luz Divina que Eu Sou em acção agora
Eu Agradeço por toda a minha experiência de vida
Eu Agradeço, Eu Agradeço, Eu Agradeço

(Em Valinhos - Fátima)

4 comentários:

  1. Muito bonita!Gosto especialmente dos pontos de brilho.(não sei porquê,mas intrigam-me o 4º e 5º hexagono.)
    Uma mandala de base 6!
    É formada pela multiplicação do 2 (a dualidade, as polaridades opostas da energia, que se unem para gerar uma terceira força);e do 3 (realizações no plano da matéria a partir de motivações espirituais),dos quais absorve um pouco os simbolismos.Dizem os entendidos! :))
    Uma mandala com base 6,contém quase sempre,o número 12.
    Remeto-me para os agroglifos...
    também apresentam estruturas geométricas semelhantes!O Universo é proporções geométricas...até que ponto,a visualização de certas imagens não activa o nosso subconsciente, pondo-nos em sintonia com outras dimensões? Ou nos transporta para a origem,sem que tenhamos consciência dela?...

    EU Agradeço por tudo o que não sei
    (porque assim o deve ser...)

    Bj*

    ResponderEliminar
  2. A gratidão torna-nos pessoas melhores.
    A este propósito, partilho convosco um pedaço de prosa sublime criado em 1927 por Max Ehrmann, e que me acompanha para todo o lado, havendo sempre um exemplar junto à minha almofada.

    Desiderata
    Caminha placidamente por entre o ruído e a pressa, e lembra – te da paz que existe no silêncio. Tenta, na medida do possível, estar de bem com todos. Exprime a tua verdade com tranquilidade e clareza. Escuta quem te rodeia, inclusive as pessoas desinteressantes e incultas; também elas têm uma história para contar. Evita gente conflituosa e agressiva, que tanto mal faz ao espírito. Se te comparares com os outros, poderás tornar – te amargo ou arrogante, pois haverá sempre alguém melhor e pior do que tu. Regozija – te com as tuas conquistas e os teus projectos. Mantém vivo o interesse pela tua carreira, por mais humilde que seja; é um verdadeiro bem nesta época de constante mudança. Sê prudente nos teus negócios – o mundo está cheio de armadilhas. Mas não feches os olhos à virtude que existe em teu redor, nem às pessoas que defendem os seus ideais e lutam por valores mais altos – a vida está cheia de heroísmo. Sê tu próprio. Acima de tudo, não sejas falso, nem cínico em relação ao amor que, face a tanta aridez e desencanto, se mantém perene como uma haste de erva. Aceita com serenidade a passagem do tempo, sabendo deixar graciosamente para trás as coisas da juventude. Cultiva a força de espírito, para te protegeres de azares inesperados. Mas não te atormentes a imaginar o pior. Muitos medos nascem do cansaço e da solidão. Mantém uma autodisciplina saudável, mas sê benevolente contigo mesmo. És um filho do Universo, como as árvores e as estrelas; tens todo o direito ao teu lugar no mundo. Poderá não ser claro para ti, mas a verdade é que o Universo está a evoluir como previsto. É importante, assim, que estejas em paz com Deus, seja qual for a tua concepção d’Ele, e em paz com a tua alma, sejam quais forem os teus anseios e aspirações no ruidoso tumulto da vida. Apesar de todos os enganos, dificuldades e desilusões, vivemos num mundo bonito. Alegra – te. Luta pela tua felicidade.
    Max Ehrmann

    Sobre o autor
    Max Ehrmann, poeta e advogado, nasceu em 1872, em Terre Haute, Indiana, nos Estados Unidos da América. A sua família era muito unida e nutria amor pelas artes e pela religião, o que desempenhou um papel muito importante na vida de Ehrmann, sempre em busca de resposta para as suas questões espirituais.
    Ehrmann tinha a profunda necessidade de criar algo para a posteridade: “Se, num momento de nobre inspiração, conseguisse escrever um pedaço de prosa sublime que atenuasse a severidade da vida e trouxesse para o nosso quotidiano febril alguma coragem, dignidade e paz, dar – me – ìa por satisfeito. Esse “pedaço de prosa sublime” tornou-se em Desiderata.
    Assim que se licenciou, em 1894, Ehrmann entrou para a Universidade de Harvard, onde passou dois anos a especializar-se em Direito e Filosofia, regressando depois a Terre Haute, onde viveu como poeta e filósofo e onde veio a falecer em 1945.

    Bj
    Isabel Pires

    ResponderEliminar
  3. Ainda a Desiderata.

    Sobre o texto
    Escrito em 1927 pelo poeta e filósofo norte – americano Max Ehrmann, Desiderata (em latim, “coisas a desejar”) é um dos poemas em prosa mais famosos em todo o mundo. Muito apreciado pela eloquência com que exprime simples verdades tantas vezes esquecidas, Desiderata contém uma mensagem intemporal de fé, esperança e compaixão.
    Em Dezembro de 1933, Ehrmann utilizou este poema como uma saudação de Natal para enviar aos seus amigos. Mais tarde, durante a Segunda Guerra Mundial, Merrill Moore, um psiquiatra do Exército escreveu a Ehrmann dizendo que distribuíra cerca de mil cópias de Desiderata ao longo dos anos, nas suas consultas em Boston.
    O sucesso não foi, porém, imediato para Ehrmann. A partir de meados dos anos 50, a autoria de Desiderata tornou – se obscura. O poema era tão apelativo que passara de mão em mão. A dada altura, o pastor de uma igreja de Baltimore, imbuído pelo deseja de partilhar a mensagem de Desiderata com o seu rebanho, distribuiu cópias do poema que incluíam uma referência à igreja e a data da sua fundação, no século XVII. Aos poucos, generalizou – se a ideia de que o poema datava dessa época, o que o tornava ainda mais romântico e evocativo.
    Desiderata tornou – se mundialmente conhecido através dos posters do movimento hippie de São Francisco dos anos 60, que viu nele uma declaração secular de amor e paz.
    Recentemente repôs – se a origem deste famoso poema e foi feita justiça ao génio de Max Ehrmann. Desiderata continua a ser apelativo para milhares de pessoas, com a sua fórmula para alcançar a felicidade – estar de bem com Deus e com a vida.

    ResponderEliminar
  4. Agradeço a vossa partilha. Acrescentou e em muito a reflexão sobre esta Mandala.
    Bj*-Luz para ambas :)

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day