sexta-feira, 22 de abril de 2011

Pelo amor de Deus








3 comentários:

  1. Como o Mestre teria dito que nos veria em breve. Agora naquela agonia, não acreditávamos: sua mãe num parto de dores novas e cruéis. José com o linho do lençol dobrado de tanta trama de fiação cuidada. " Se lhe quebrassem as pernas?...Se lhe abreviassem a morte rompendo-Lhe os flancos ?... Se Lhe dessem aquela esponja de vinagre e fel para o Ter acordado.Como o envolveriamos no nardo e aloés que Maria guardava. O Sábado aproximava-se. Era ímpio tocar no exercício da morte e no resultado da sua acção.Amortalhámos trémulos de mãos femininas. Foram elas, mulheres,de quem foi o testemunho da Ressurreição. Ficou o Santo Sudário, a impressão miraculosa de Jesus. Colho nardos nesta Sexta-Feira de Paixão, uma lágrima cai-me no sítio da lança de Longines; tu olhas como Maria Madalena. O Céu diz-nos que a Bem Aventurança há-de chegar na entrega do Filho para a Ressurreição dos mortos.

    ResponderEliminar
  2. Pergunta(s) ao Sol
    debaixo da Lua...

    :S

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day