quinta-feira, 28 de abril de 2011

O REI ALPHONSO


No ano de 1438 morria el-Rei D. Duarte, deixando o príncipe herdeiro com apenas 6 anos de idade. Para além dos juramentos de fidelidade a prestar ao jovem rei, era necessário resolver a questão da regência. A quem confiar os destinos de Portugal durante a menoridade de D. Afonso V? A disputa entre facções de opinião divergente quase levou o reino a uma guerra civil, e Torres Novas foi o cenário desse confronto.


















Um Rei Culto, Místico, Cavaleiro e Perdulário
Na história portuguesa, D. Afonso V ficou com o cognome de "o Africano", mercê das suas incursões por África contra os muçulmanos, movido pelas cruzadas proclamadas pelo Papa Calixto III na sequência da tomada de Constantinopla, em 1453, pelos turcos. Por elas se tornou senhor de Ceuta, Arzila, Tânger e Alcácer-Ceguer. Na sua vida não são, porém, menos marcantes, quer a sua política cultural, quer a guerra que travou com Castela, desejoso de dar cumprimento a uma das cláusulas do testamento de Henrique IV, rei de Castela e Leão, em que dispunha casar sua filha D. Joana com o Soberano português, sonhando em unificar, assim, sob um só trono, o seu, toda a Península Ibérica.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day