sábado, 9 de junho de 2012

Anjos que (a)guardam



Em sonhos encontro os encontros do tempo ao lado de anjos espantados.

Ainda mal acordada ofereço rezas que sobem aos céus à procura de um colo e  braços

protectores.

Vozes abaixo da linha de água melodiam sons desdobrados pela luz do dia .

No silêncio dos cristais o amor nasce à revelia e os anjos sorriem ao pronunciar o nome que conheço.

Depois penteiam os seus cabelos de seda e partem jubilosos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day