terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Dia de Angela


But at the same time you can't assume that making a difference 20 years ago is going to allow you to sort of live on the laurels of those victories for the rest of your life.


22 comentários:

  1. «In Virginia before the end of slavery there was only one crime for which a white person could be executed, but there were 66 crimes for which a slave could be executed. Had it not been for slavery, the death penalty would have likely been abolished in America. Slavery became a haven for the death penalty.»
    Angela Davis

    ResponderEliminar
  2. «The prevailing myth then as now is that poverty is a punishment for idleness and indolence. If you had nothing to show for yourself, it meant that you hadn’t worked hard enough. I knew that my mother and father had worked hard»
    Angela Davis

    ResponderEliminar
  3. Porque muitos o que têm é "garganta" (ainda por cima desafinada!),pelos poucos que se atrevem a (re)agir,
    Parabéns Angela!

    ResponderEliminar
  4. Pois não, pois não. Grande parte das conquistas têm de ser defendidas todos os dias. E quanto mais importantes e dadas como adquiridas, mais cuidado e zelo é preciso ter na sua defesa. Há sempre - mas sempre, sempre - alguém há espera, discretamente, que a guarda baixe.

    ResponderEliminar
  5. XIIZinho e Carlos : É isso mesmo: Não se pode descurar o trabalho de toda uma vida, mas isso só alguns cumprem... os que têm espinha dorsal... :)
    PS- Carlos, há quanto tempo!
    Bj*

    ResponderEliminar
  6. Não sei se percebi a ideia,mas na minha,não aprovo a dita "espinha dorsal".

    ResponderEliminar
  7. Ângela tem espinha dorsal. Os da "garganta" são invertebrados.Ângela não descurou o que defendeu uma vida, mesmo nas suas aulas de filosofia e é uma das poucas que reage (não estando necessáriamente sob as luzes da ribalta) :) eu adoro espinhas dorsais!

    ResponderEliminar
  8. Sou bastante radical em pensamentos e sentimentos,face a actos,"conquistas" e estatutos,que se perpetuam.Normalmente está todo um processo de publicidade pessoal associada que me incomoda,sinceramente.Para mim,muitos perdem a credibilidade por isso mesmo.Não os sinto genuínos,puros...Lugares,de onde surguem as boas intenções.A vida é feita de momentos,não de prolongamentos.Por muito mal que isto soe.E quanto a defender,é pessimo pensar assim...não há ataque possivel,quando temos a consciência tranquila,de que fizemos as coisas de coração.
    Enfim...

    ResponderEliminar
  9. Não tinha lido a tua explicação,quando me manifestei,desculpa a antecipação.Também gosto das tuas "espinhas dorsais",explicado dessa forma! :)
    Para mim "espinhas dorsais" não passam do sustento de determinadas situações que abomino...

    ResponderEliminar
  10. Essas situações, que tão bem referes, parecem ser sustentadas por tentáculos e ventosas, assim tudo mais para o viscoso....

    ResponderEliminar
  11. Né, nem sempre comento, porque nem sempre considero ter algo a dizer. Contudo, sou visita assídua, e assim continuarei. Abraço.

    XII, lamento que pense tudo o que escreve no seu terceiro comentário - de mim, pelos vistos. Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  12. Penso tudo o que escrevi,sim.
    Surpreende-me Carlos,ter sentido que dirigido a si.Tudo de bom também,cumprimentos.

    ResponderEliminar
  13. One Love!
    One Heart!
    Let's get together and feel all right.

    ResponderEliminar
  14. Things are not the way they used to be,
    I won't tell no lie;
    One and all have to face reality now.
    'Though I've tried to find the answer to all the questions they ask.
    'Though I know it's impossible to go livin' through the past -
    Don't tell no lie.

    ;)

    ResponderEliminar
  15. Né, há situações que escapam à minha compreensão. Felizmente, aprendi - não aprendemos todos? - a ignorar e seguir em frente. Contudo, não assobio para o lado e faço de conta que as coisas não são comigo, embora a isso me aconselhem pessoas muito queridas, mais vezes do que possas imaginar. É uma letra muito bonita, sim, mas nem sempre praticável. Um abraço.

    ResponderEliminar
  16. E, evidentemente, continuarei a visitar esta 'casa' com muito prazer - se nem sempre comentar é porque, como escrevi antes, nem sempre tenho algo a acrescentar.

    ResponderEliminar
  17. Gostaria deixar claro Carlos,que nada do que disse foi para o atingir.Não deixo de continuar surpreendida,com a sua atitude.
    Se ler como um todo,vai perceber que não passa do meu conceito de "espinha dorsal",não do meu conceito,de si.
    Desculpa,Maria.

    ResponderEliminar
  18. A mesa da nave terá sempre a chávena de chá prontinha a fumegar (a variedade é imensa!) e as almofadas que trouxe do Rajastão ficam sempre no teu lugar! beijocas Carlos ;)

    XIIzinho, é bom esclarecer tudo para que se veja limpo como água :)
    Beijocas

    ResponderEliminar
  19. XII, a sua crítica de conceitos a que eu também havia recorrido no meu comentário ('conquistas', 'defesas') e o tom do seu comentário levaram-me a pensar que se referia a mim quando falou em 'processos de publicidade pessoal'. Do mesmo modo que diz ser radical em sentimentos e pensamentos, eu sou radical a dizer o que penso - e disse-lhe exactamente o que o seu comentário me levou a pensar. Se fui injusto, lamento.

    Né, agradeço o chá quente (gosto muito) e as almofadas do Rajastão (espero que sejam pelo menos tão bonitas como estas: http://portalindia.com.br/loja/artigos-decorativos/roupas-de-cama?limit=10). Abraço.

    ResponderEliminar
  20. São como essas, sim!!!!!! Lindas! E outras grandes e outras ainda maiores!
    Beijoca

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day