segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Dia de Virginia

video

5 comentários:

  1. «Talvez a vida não possa ser contada. Sentado à mesa, tarde na noite, sofro com a minha incapacidade em alterar as coisas. As etiquetas de nada servem já. É estranho ver como as ondas de energia se esvaem na terra ressequida. Sentado na solidão, sinto-me esgotado e as minhas águas mal conseguem rodear o cardo marinho e não alcançam sequer aquele rochedo mais distante. Tudo acabou, cheguei ao fim. Mas espere um pouco ― eu fiquei toda a noite sentado à espera. De novo um impulso me percorre; levanto-me, agitando no ar uma cabeleira de alva espuma; lanço-me ao assalto da praia; e nada é capaz de me deter. Isto quer dizer que fiz a barba e me lavei, evitei acordar a minha mulher e tomei o pequeno-almoço. Coloquei o chapéu na cabeça e saí para ganhar a vida. Depois da segunda-feira vem terça.»

    Virginia Woolf, AS ONDAS (tradução de Francisco Vale, Lisboa: Relógio d’Água, 1988, páginas 214-215)

    ResponderEliminar
  2. «At last
    My love has come along
    My lonely days are over
    And life is like a song

    Ohh yeah yeah
    At last
    (...)»

    Happy birthday, Jamesetta Hawkins!
    Good night, Né. Good night, XII.

    ResponderEliminar
  3. Os monólogos interiores são manifestamente caracteristica intrínseca na literatura de Wolf.Admiro imenso a Virginia.
    Uma verdadeira líder do movimento literário modernista! (foi membro efectivo do Bloomsbury Group.)

    "There is no gate, no lock, no bolt that you can set upon the freedom of the mind"

    Se até então a literatura,até por volta de inícios do sec.XX,se baseava em definições das caracteristicas das personagens e do meio envolvente,com o chamado "stream-of-consciousness" -fluxo de consciência- a estória é narrada de uma perspectiva interior,partindo do interior para o exterior e não o oposto,explorando as concepções da memória,do tempo e da consciência.
    Virginia é exímia nesta técnica. (James Joyce já a houvera explorado, também muito utilizada por C.Lispector.)

    :) Parabéns Virginia!*

    "Who can measure the heat and passion of a poet's heart when it is caught and tangled in a woman's body"

    ResponderEliminar
  4. Obrigada por dares voz à Virginia,Maria.
    Ouvi atenta... Beijo

    ResponderEliminar
  5. Virginia esteve anos na mesinha de cabeceira, qual Bíblia (e junto com ela) nos dificeis anos 80.... devo-lhe MUITO e à Bíblia também!
    Bj*

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day