segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Carlos Paredes

5 comentários:

  1. As cordas dançam-lhe ao som dos dedos!!Chegam até nós em rodopio!Fantástico na composição.
    Na Arte!
    Parabéns,Carlos! :)

    ResponderEliminar
  2. Aproveito também para felicitar a RTP2 pelo DIA D ,24 horas de documentários de produção Nacional.Venham mais!!

    ResponderEliminar
  3. Dizem que por vezes ficava tão compenetrado na música que estava a produzir que os seus dedos chegavam a ficar em carne viva. Tenho um livro que compila entrevistas efectuadas por Fernando Assis Pacheco, e um dos entrevistados é Paredes; a modéstia e a humildade deste homem eram absolutamente incríveis. E acho comovente ele revelar que numa viagem de avião a guitarra ficou perdida entre aeroportos, tendo ele chegado a pensar em matar-se, tal a dor daquela ausência. Mais um dos nossos grandes. Um abraço.

    (Sei que isto é um lugar-comum, mas sendo todas as suas composições nada menos do que perfeitas, é o tema Verdes Anos que mais me comove - como pouca música o consegue fazer.)

    ResponderEliminar
  4. (Hoje é dia de Eberhardt e Mckennitt,sabes o que isso quer dizer não sabes?... Tertúlia na teeeeennda! :)

    ResponderEliminar
  5. :) Tenho um gosto muito especial por Carlos Paredes. A guitarra que se funde nele e ele que se transforma em guitarra, o génio de compositor, a simplicidade genuína do seu carácter, tudo, tudo, tudo o faz Grande e Único.

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day