quinta-feira, 6 de maio de 2010

O agente Chubby


Contou-me hoje um amigo, que convidou outro amigo para cantar num espectáculo. Assim que o agente desse cantor, amigo do meu amigo, soube o que o meu amigo fez, descompô-lo via mail (activando o endereço de outras pessoas ligadas ao meio, no campo CCo, criando as condições necessárias para uma peixeirada cibernética) acusando-o de falta de ética.

Isto agora passou a ser assim: Os artistas não podem convidar quem querem. Têm de pedir permissão ao sr. agente, que nada faz para que as afinidades entre artistas surjam e quando surgem ou as boicotam desta maneira, ou as sugam como um licor de Mon Chérie.
Neste caso o agente grande estava cheio de ar e pensou que não valia a pena comer uns amendoins...

Há tempos aconteceu-me convidar uma artista que, muito contida, pediu para eu formular esse meu desejo ao sr. agente dela. Ela queria, mas não sabia se o agente a deixava. Ora, eu conhecia-a a ela, não ao dito agente e lembrei-me que com aquela idade (há algum tempo atrás) eu era livre de aceitar os convites que me faziam e não sujeitava ninguém a pedir licença a outrem por gostarem de mim! É claro que a ideia morreu logo ali e a vontade de fazer o que quer que fosse, com a artista, desapareceu num ápice... nem um lanchinho. Prezo a liberdade de decisão e personalidade que caracterizam os artistas. Nunca a submissão.

Assim, estou cada vez mais longe do mundo obscuro das "agências", que não fazem mais do que parasitar o trabalho de quem cria, de quem tem as ideias, de quem as sabe colocar em marcha e as concretiza. Depois disso são restos que ficam. E os agentes adoram restos...

Nota: este agente zangado e insolente realizou UM único concerto com o amigo do meu amigo, que por sinal estava às moscas. Eu estive lá. Perguntinha: e esse (a)gente(?) fez o que lhe competia? Divulgou? Nop! Havia um cartaz pendurado nas imediações do teatro...

Ridículo? É sim senhor!
Perigoso? Claro.
Ditaduras encapuçadas, até na parasitagem, alastram e quase ninguém dá por isso. E o problema é esse.

5 comentários:

  1. Agora pergunto,quem os tem foi obrigado a tê-los?
    Não me parece...Cada um tem o que merece.É o que penso.Como pode ser a musica genuina nestas condições? Não pode.Não é.Ai a ostentação do nada! e a mania da superioridade...
    Decidiste ser livre para ser,e isso faz TODA a diferença... é a diferença.

    Que fique mas é beeem caladinho o agente Chubby, e o seu séquito...

    ResponderEliminar
  2. E mai'nada!!!! Ai XIIzinho às vezes dá vontade de descer da montanha e fazer uns "estragos" por aí. Estás a ver a fase molotov? llooll

    ResponderEliminar
  3. Há situações que não é para menos.
    Conta comigo!Tenho um arremesso e peras! ;))

    ResponderEliminar
  4. Arremessemos, pois, um coktail de cores curativas e transmutadoras :)

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day