domingo, 3 de abril de 2011



Passa uma borboleta por diante de mim

E pela primeira vez no Universo eu reparo

Que as borboletas não têm cor nem movimento,

Assim como as flores não têm perfume nem cor.

A cor é que tem cor nas asas da borboleta,

No movimento da borboleta o movimento é que se move,

O perfume é que tem perfume no perfume da flor.

A borboleta é apenas borboleta

E a flor é apenas flor.


Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XL

3 comentários:

  1. AH! Este Alberto Caeiro, senhor conhecido de Pessoa que tanto sabia do mundo Natural e dele fazia nascer uma gama se sonhos.
    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Pessoa sempre tinha um segundo olhar pra cada detalhe... abraços!

    ResponderEliminar
  3. Bem vindos! Que bom este gosto por sonhos e detalhes :)
    Bj*

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day