quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Calor :(


O calor satura-me. O calor não me deixa ser.
As meus rios e mares desaparecem, as minhas montanhas ainda mais longe.
A rede torna-se espinho.
Tudo irrespirável.

6 comentários:

  1. Se vento viesse
    e a rede volvesse
    De que lado ficaria o espinho?...

    *

    ResponderEliminar
  2. Mesmo o silêncio é irrespirável? Use o espinho do silêncio e arquitecte com ele um furo na rede. Talvez brote uma fonte qualquer que lhe refresque o ser. Pelo menos haverá um rio que correrá para o mar, vindo da montanha do aqui.

    Jorge Brasil Mesquita

    ResponderEliminar
  3. Parece que o riacho levou o espinho para o mar .
    Agora penso: e quando chover, serão gotas ou ainda mais espinhos?

    ResponderEliminar
  4. Depende das lágrimas da chuva e de quem as verte. Se forem de dor ou de amor o melhor é bebê-las e aprender a sorrir com elas. Se forem espinhos, eliminam-se, com espiras de sons, a fonte dos espinhos.

    Jorge Brasil Mesquita

    ResponderEliminar
  5. Quando chover e o caudal do rio subir,o barco que vens contruindo,encarregar-se-á de te levar a bom porto.
    Iça nos espinhos,as velas!

    Bj*

    ResponderEliminar
  6. Velas içadas e espiras a rolar ;)
    Nova estação a começar!

    ResponderEliminar

Dentro da nave

Astronomy Picture of the Day